Procon entra em acordo com revendedores para limitar preço do botijão de gás

  • Por Jovem Pan
  • 15/04/2020 06h32
Roberto Sungi/Estadão ConteúdoDe acordo com o diretor executivo do Procon, elevar o preço em relação ao que era praticado antes da covid-19 é uma infração gravíssima

O Procon determinou, nesta semana, que o botijão de gás de 13 quilos seja vendido no máximo a R$ 70. A decisão foi tomada após o órgão receber mais de 300 denúncias, relatando valores que chegaram a R$ 130 durante o período de quarentena imposta pelo novo coronavírus.

Nesta segunda-feira, o Procon fechou um acordo com o Sindicato das Empresas Representantes de Gás Liquefeito de Petróleo de São Paulo.

A SERGÁS, que representa aproximadamente 22 revendedores de gás de cozinha, prometeu que, desde que o consumidor leve o seu botijão vazio, conseguirá trocar por outro cheio pelo valor de R$ 70.

Segundo o diretor executivo do Procon, Fernando Capez, as empresas que cobrarem mais de R$ 70 pelo botijão deverão demonstrar que já praticavam esses valores antes do período da pandemia.

De acordo com o diretor executivo do Procon, elevar o preço em relação ao que era praticado antes da covid-19 é uma infração gravíssima contra os direitos do consumidor. Fernando Capez destaca, ainda, que também foi estipulado um valor máximo para a entrega do gás de cozinha em domicílio.

O Procon afirma que os consumidores podem fazer denúncias sobre preços abusivos através de seus canais oficiais na internet, no site www.procon.sp.gov.br ou nas redes sociais.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini