Procon-SP alerta contra preços abusivos na gasolina

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2018 09h11 - Atualizado em 25/05/2018 16h00
Fernando Frazão/Agência BrasilCrise no abastecimento provocou imensas filas nos postos de gasolina em todo o País

O quarto dia da greve dos caminhoneiros foi marcado pela corrida aos postos de gasolina em todo o País. Ainda assim, apesar do esforço e após horas na fila, em muitas ocasiões, o motorista saiu desapontado.

No Rio de Janeiro, o repórter Rodrigo Viga constatou clientes sendo dispensados antes das 14h. Nas cidades de Águas Claras e Planaltina, no Distrito Federal, a gasolina chegou a custar quase R$ 10,00. Na região metropolitana de Recife-PE, o produto era vendido por r$ 8,99. Em São Paulo, o medo de ficar sem combustível fez o motorista encher o tanque do carro.

Foi o caso do administrador Cássio Gotto, que decidiu abastecer mesmo sem saber quanto isso custaria. A cobrança abusiva pode gerar punições ao dono do posto e o consumidor que se sentir lesado deve reclamar. “Por garantia. Não sei o preço”, disse.

O chefe de gabinete do Procon São Paulo, Carlos Coscarelli, detalha quais são os procedimentos para formalizar a denúncia. “Recomendamos que o consumidos nos faça a denúncia por meio de nosso site e nos envie o cupom fiscal do preço que ele pagou”, recomenda Coscarelli.

O presidente do Sindicato dos Postos, José Alberto Paiva Gouvea, crítica quem se aproveita desse tipo de situação. “O Sindicato não concorda com nenhuma atitude que seja contrária ao consumidor. Quem fizer isso vai ter que assumir sua responsabilidade perante os órgãos de defesa do consumidor”, alertou Gouvea.

Até o momento, postos de Pernambuco, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, e Paraíba já foram multados pelo aumento abusivo.

*Com informações do repórter Vinícius Custodio