Procurador da Lava Jato defende pedido de suspeição de Mendes: “posição acertada”

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2017 09h05 - Atualizado em 23/08/2017 11h41
CURITIBA, PR, 04.03.2016: OPERAÇÃO-LAVA JATO - Carlos Fernando dos Santos Lima - Coletiva de imprensa na Polícia Federal de Curitiba-PR, sobre a 24ª fase da Lava Jato denominada Aletheia, deflagrada na manhã desta sexta-feira (4) pela Polícia Federal, que tem como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Participam da coletiva o Superintendente da Polícia Federal no Paraná Rosalvo Ferreira Franco, delegado da Operação Lava Jato Igor Romário de Paula e O auditor da Receita Federal Roberto Leonel de Oliveira Lima. (Foto: Heuler Andrey/DiaEsportivo/Folhapress)"Nós, como membros do MPF e como cidadãos, entendemos que a posição do procurador-geral da República em pedir a suspeição é a mais acertada", disse o procurador

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da Lava Jato, defendeu o pedido de suspeição de Gilmar Mendes. O chefe do Ministério Público, Rodrigo Janot, avaliou na segunda-feira (21) que o ministro não poderia julgar investigados da Operação Ponto Final.

O integrante do STF determinou a soltura do empresário do setor de transportes do Rio de Janeiro, Jacob Barata Filho, conhecido como “rei do ônibus”.

Gilmar Mendes é padrinho de casamento da filha do investigado e as decisões tomadas por ele deveriam ser anuladas.

Para o procurador da Lava Jato, o ministro do STF tem “evidentes ligações” com o empresário: “nós, como membros do MPF e como cidadãos, entendemos que a posição do procurador-geral da República em pedir a suspeição é a mais acertada pelas evidentes ligações que Gilmar e seus familiares têm com o empresário que foi preso”.

Em meio a pressão do Ministério Público, Gilmar Mendes negou falta de imparcialidade após conceder dois habeas corpus em favor do empresário.

A suspeição ainda não foi julgada pela presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro