Produtores rurais contabilizam perdas de R$ 3 bi com greve de caminhoneiros

  • Por Jovem Pan
  • 06/06/2018 06h43
Jonas Oliveira/ ANPrA Associação Brasileira de Proteína Animal estima que 70 milhões de aves morreram por falta de ração e não haverá recuperação ao longo de 2018

Produtores rurais contabilizam perdas de R$ 3 bilhões com a paralisação dos caminhoneiros, que durou dez dias.

A Associação Brasileira de Proteína Animal estima que 70 milhões de aves morreram por falta de ração e não haverá recuperação ao longo de 2018.

O setor avalia que a queda na produção de carnes suínas e de aves, e dos ovos, foi significativa, e os produtos não puderam chegar aos locais de venda.

O diretor da ABPA, Ricardo Santini, ressaltou que os aumentos de custos vão aumentar os preços ao consumidor: “eu fiquei dez dias parado com os empregados sendo pagos, com todos os custos adiantados, perdeu transporte. A gente não gostaria, porque a gente produz alimento essencial. Alimento é base.”

O presidente-executivo da ABIMAQ reforçou que 93%, das 7,5 mil empresas do setor, foram afetadas pela paralisação.

José Veloso afirmou que a Indústria de Máquinas e Equipamentos, a exemplo de outros setores produtivos, não conseguiu evitar perdas no período: “empresas que não conseguiram receber matéria-prima, insumos, com produtos acabados na expedição sem ter transporte para levá-lo. Foram respostas das mais variáveis”.

Em geral, os setores produtivos e o comércio avaliam que a paralisação dos caminhoneiros afetou o resultado previsto de crescimento para este ano.

E o consumidor percebe no reabastecimento dos produtos que os preços estão mais altos, num reflexo de que a conta chegará para todos.

*Informações do repórter Marcelo Mattos