Projeto une costureiras que produzem máscaras aos profissionais de saúde

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2020 06h08 - Atualizado em 06/04/2020 06h09
EFE/EPA/Government of Sao Paulo O projeto “Costurando um Futuro Melhor” também fez parcerias com redes de farmácias e empresas que irão distribuir as máscaras reutilizáveis aos funcionários

Diante do cenário de pandemia do coronavírus e com a escassez de produtos essenciais para a proteção individual, mais iniciativas têm surgido com a intenção de fazer a diferença.

Uma delas é o projeto “Costurando um Futuro Melhor”, desenvolvido por uma agência de design de roupas em parceria com a estilista Flayza Vieira e outras empresas do setor têxtil.

A ideia é produzir, no primeiro mês, cerca de 450 mil máscaras que serão destinadas, principalmente, aos profissionais de saúde que estão na linha de frente ao combate ao vírus.

Até o momento, 50 mil já foram confeccionadas e já estão sendo distribuídas a quem precisa. Para a área médica, as máscaras serão feitas com um tecido tecnológico e proteção microbiana.

O projeto “Costurando um Futuro Melhor” também tem outro objetivo: gerar renda para cerca de 200 costureiras em situação de vulnerabilidade.

Segundo a proprietária da Única Smart Clothes, Milena Satyro, o momento agora é de união e o importante é também garantir a estabilidade emocional dessas mulheres.

A costureira Maria Aparecida Araújo afirma que, além de ajudar a pagar as contas, o trabalho também ajuda a manter a saúde mental.

O projeto “Costurando um Futuro Melhor” também fez parcerias com redes de farmácias e empresas que irão distribuir as máscaras reutilizáveis aos funcionários, feitas com tecidos mais leves.

As máscaras também serão doadas a comunidades vulneráveis da cidade de São Paulo, como Paraisópolis e a Favela Real Parque, no Morumbi.

*Com informações da repórter Letícia Santini