PT e PSB tentam resolver impasse para o Senado no Rio de Janeiro

No início da semana, diretório estadual do PT aprovou moção em que retirava apoio à candidatura do PSB; Gleisi Hoffmann comentou a situação e disse que união é estratégia politica

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2022 07h54
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados Alessndro Molón

O PT espera resolver o impasse com o PSB no Rio de Janeiro para as eleições de 2022. O PSB insiste em lançar Alessandro Molon como senador na chapa de Marcelo Freixo, enquanto o PT mantém a posição por André Ceciliano. A Presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, explicou que decidiram estender o prazo para que os aliados possam resolver essa questão. “Já reafirmei que queremos ter um palanque forte no Rio, com Freixo e Ceciliano. Por uma questão até de respeito com o PSB e amanhã é o último dia para fechar as composições, resolvemos estender o prazo até amanhã, dando oportunidade da direção nacional do PSB cumprir o acordo político para unificarmos o campo no Rio. Sair unidos com o campo que nós temos lá é fundamental para obtermos vitória”, disse Hoffmann. No início da semana, o diretório estadual do PT chegou a aprovar uma moção para retirar o apoio à candidatura de Freixo. A direção nacional do partido, no entanto, divulgou nota reafirmando a disposição para construir um palanque no Rio de Janeiro. Além disso, o PSB, após pressão de Lula, retirou os recursos do fundo eleitoral de Molon . Hoffmann afirmou que o palanque do Rio é uma estratégia política. ” Nós queremos que o PSB tmbém nos fale abertamente como vai trabalhar quanto a isso. Volto a dizer: Isso não é contra o Molon , temos respeito por ele. Isso tem a ver com uma estratégia política de unidade do nosso campo. Não é possível a gente sair dividindo a disputa do Senado em um palanque tão importante quanto é o Rio de Janeiro e a com a oportunidade grane que temos com a candidatura do Freixo de vencer no Rio”, concluiu a presidente do PT.

Confira a reportagem na íntegra:

*Com informações da repórter Nanny Cox