PT usa horário eleitoral para desmerecer TSE e manter ‘mito Lula’, diz Reale Jr.

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2018 08h36
Jefferson Rudy/Agência Senado“Mostra que não prevalece o Plano B, mas o Plano A, até onde der, para desafiar a Justiça de todas as formas mantendo o mito Lula", disse

Mesmo após a decisão dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral de que Lula não poderá ser candidato, o PT reúne esforços e desafia a Justiça Eleitoral até mesmo no horário eleitoral.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o jurista Miguel Reale Jr. disse que a atitude do PT mostra que não prevalece o “Plano B”. Segundo o jurista, o partido desafia as Justiça de todas as formas para manter a imagem de Lula.

“Mostra que não prevalece o Plano B, mas o Plano A, até onde der, para desafiar a Justiça de todas as formas mantendo o mito Lula e tentando através dele vincular por mais tempo esse mito ao candidato eventual, ao [Fernando] Haddad”, criticou.

Miguel Reale Jr. lembrou que logo no primeiro dia de campanha, o PT usou seu tempo para desmerecer o TSE e dizer que a Justiça foi partícipe do golpe. “Foi usar o programa eleitoral para desmerecer o Brasil e o tribunal. É a desconstituição das instituições para favorecer um partido”.

Sobre o voto do ministro Edson Fachin, que foi o único contrário ao indeferimento da candidatura de Lula, o jurista disse que foi “absolutamente surpreendente”. Fachin, em seu voto, considerou a candidatura inelegível, mas dava ao comitê administrativo da ONU um poder que não possui desta forma.

“Não se ouviu o Brasil, não se respeitou o prazo, se quer atribuir a isso um poder superior à legislação brasileira”, reiterou Reale Jr.

Enquanto o PT diz que entrará com recursos nas instâncias possíveis – TSE e STF – o jurista crê que nenhum dos ministros do Supremo vá contrariar a decisão do TSE.

Confira a entrevista completa com o jurista Miguel Reale Jr: