Qualidade do ar na Austrália atinge pior nível no mundo

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2020 07h24
EFEA má qualidade do ar causou atrasos nas partidas e a suspensão do primeiro dia de qualificação para o Australian Open

Cientistas da agência espacial americana alertam que, em breve, a fumaça dos grandes incêndios na Austrália dê a volta ao redor da Terra. A observação foi feita a partir de satélites que analisam a fumaça e os aerossóis provenientes do fogo que devastam o país.

A fuligem que cruzou a América do Sul alterou a cor do céu e prejudicou a qualidade do ar de algumas regiões do Chile e da Argentina. No Brasil, o fenômeno foi observado no Rio Grande do Sul, no dia 7 de janeiro.

A Nasa também identificou alterações na cor da neve de montanhas na Nova Zelândia.

Nesta terça-feira (14), moradores de Melboure, a segunda cidade mais populosa da Austrália, enfrentaram um segundo dia consecutivo de níveis perigosos de poluição do ar. Espaços públicos de recreação foram fechados e a prefeitura da cidade aconselhou os moradores a evitarem passeios ao ar livre.

A má qualidade do ar causou atrasos nas partidas e a suspensão do primeiro dia de qualificação para o Australian Open. A jogadora da Eslováquia, Dalila Jakupovic, sofreu um acesso de tosse e abandonou a partida.

A eslovena disse não ter histórico de problemas respiratórios e sentiu como se tivesse com ataque de asma.

Nas redes sociais, atletas expressaram as dificuldades durante as partidas. A tenista de Luxemburgo, Mandy Minella, questionou sobre a saúde das pessoas que têm de trabalhar durante os jogos.

Segundo os serviços meteorológicos australianos, a camada de poluição atmosférica ficará presente pelo menos até à tarde desta quarta-feira (15), quando os ventos devem mudar de direção.

Mais de 100 focos de incêndio continuam a queimar no leste do país. Ao menos 28 pessoas morreram e mais de 3 mil casas foram destruídas.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda