Quase metade dos brasileiros ficou com nome sujo em 2019, diz SPC Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2020 06h35
ReproduçãoA pesquisa da SPC Brasil ainda revelou que o consumidor até tende a anotar os gastos fixos, mas deixa as despesas extras em segundo plano

Controlar o próprio orçamento tem sido um grande desafio para os brasileiros. É isso que revelou uma pesquisa da SPC Brasil com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

O estudo mostra que 48% dos consumidores não conseguem manter as finanças de maneira equilibrada. Além disso, quase metade dos brasileiros também ficaram com o nome sujo em algum momento nos últimos 12 meses.

A resposta para a falta de equilíbrio nas contas pode estar na confiança na própria memória para anotar as despesas ou até mesmo não fazer nenhum registro dos ganhos e gastos. Delegar a função para terceiros também pode ser um problema.

Até mesmo entre aqueles que estabelecem um método de controle, somente 1/3 planeja o mês com antecedência. As maiores dificuldades são a renda variável, a falta de disciplina e a falta de tempo.

A economista chefe da SPC Brasil, Marcela Kawuauti, explica a importância de um planejamento antecipado para não acumular dívidas em atraso.

“Desses que tiveram nome sujo, 39% disseram que passaram a controlar os gastos depois da negativação. Seria importante que o brasileiro desse essa importância antes da negativação, porque dessa forma ele evita não só o endividamento como também consegue fazer uma reserva financeira para imprevistos.”

A pesquisa da SPC Brasil ainda revelou que o consumidor até tende a anotar os gastos fixos, mas deixa as despesas extras em segundo plano. Custos como lazer, alimentação fora de casa e compras de roupas acabam muitas vezes não sendo considerados. Só 33% das pessoas fazem o planejamento ideal.

Entre os que costumam anotar todos os gastos, a ferramenta principal continua sendo o bom e velho caderno de anotações. Planilhas em computadores e aplicativos são outras alternativas para se prevenir na hora de gastar.

*Com informações do repórter Vinicius Moura