Queda na arrecadação do ICMS pode chegar a 40%, afirma secretário

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2020 09h44
Governo do PiauíA estimativa é que os estados necessitem, mensalmente, de uma ajuda de R$ 15 bilhões da União

Com o avanço do coronavírus no Brasil, o fechamento do comércio em algumas cidades e crise econômica instituída, os estados brasileiros projetam perder, no mínimo, 20% da arrecadação do ICMS, que é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços.

Em entrevista ao Jornal da Manhã desta quarta-feira (25), o presidente do Comitê Nacional de Secretários de Fazenda dos Estados e do DF e secretário da Fazenda do Piauí, Rafael Fonteles, afirmou que a queda pode chegar a 40%, o que coloca em risco a manutenção de serviços essenciais pelos governos estaduais.

De acordo com Fonteles, com a redução na arrecadação, a estimativa é que os estados necessitem, mensalmente, de uma ajuda de R$ 15 bilhões da União enquanto durar a pandemia do coronavírus.

Para o secretário da Fazenda, entretanto, a maior preocupação no momento é conseguir ter recursos para combater o avanço da covid-19 e garantir a ampliação de recursos para a saúde.

“A preocupação, até mesmo econômica, é ter recursos para combater a pandemia. Somente depois dessa ajuda iremos entrar em como combater os efeitos da depressão econômica que vai ter, em como a gente poder reaquecer a economia.”

Fonteles reforçou que os estados são, de certa forma, muito dependentes da União e que, neste momento, irão depender de auxílio para a manutenção da liquidez e para garantir o funcionamento dos serviços essenciais de saúde, segurança e educação, quando as aulas voltarem.

“Então a situação é muito preocupante. Já sabemos que terá a queda (do ICMS) pode potencializar o problema, mas certamente terá um grande plano nacional para proteger a renda.”