Após queda em janeiro, comércio prevê retração maior por pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2020 06h37
Paulo Pinto/FotosPublicas18/12/2017- São Paulo- SP, Brasil- Movimento na 25 de Março na semana do Natal . Foto Paulo Pinto/FotosPublicas

As estatísticas do IBGE para o comércio ainda não começaram a apresentar os efeitos do coronavírus no Brasil, mas o setor de comércio já apresenta quedas.

Segundo o IBGE o setor teve uma queda de 1% com relação a dezembro de 2019, sendo janeiro  deste ano considerado o pior mês do comércio desde 2016. Lembrando que o Brasil, em 2016, a economia brasileira caiu mais de 7%.

Em janeiro deste ano, três setores do comércio já estavam em queda, sendo eles: móveis e eletrodomésticos, combustíveis e super e hipermercados.

Segundo a economista do IBGE, ISabela Nunes, os dados são preocupantes, já que os dados ainda nem começaram a captar os efeitos do coronavírus.

“Esse ano será de muitas perdas para todos os setores e o mês de janeiro já vem mais fraco. Na verdade o comércio tende a ter uma mudança muito grande, as compras online devem subir.”

Vale lembrar que, a partir desta quarta-feira (25), o preço na gasolina já está mais barata nas refinarias. A queda no valor é fruta da guerra entre Arábia Saudita e Rússia e também pela menor perspectiva global frente ao coronavírus no mundo.

A queda nas refinarias fica em cerca de 15%, o que dá em torno de R$ 0,20 por litro. É a terceira queda consecutiva no preço da gasolina. Nesse ano de 2020, a gasolina já acumula redução perto dos 50%.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga