Queiroz disse ao MPF que deu ‘satisfação’ a Flávio Bolsonaro sobre suposto esquema de rachadinha

Ex-assessor disse que o então deputado estava muito “chateado, revoltado” e afirmou que “tinha de dar uma satisfação” ao filho do presidente

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2020 06h16 - Atualizado em 04/08/2020 08h02
Foi neste contexto que os investigadores chegaram a Queiroz como suspeito de administrar um esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, disse, em depoimento ao Ministério Público Federal, que conversou com o senador logo após a denúncia do suposto esquema. Em um vídeo divulgado nesta segunda feira (3) pelo Jornal Nacional, da TV Globo, com trechos do depoimento, Queiroz disse que o então deputado estava muito “chateado, revoltado” e afirmou que “tinha de dar uma satisfação” a Flávio. O ex-assessor parlamentar disse que estava muito envergonhado e que o encontro não durou cinco minutos.

Fabrício Queiroz disse ter resumido a história para Flávio e garantiu que não se encontrou mais com o senador. No depoimento, ele também falou ao procurador Eduado Benone que assumiria um cargo com a família Bolsonaro em Brasília após as eleições e trabalharia ou com Jair Bolsonaro ou com o filho. O depoimento foi dado quando ele estava detido no presídio Bangu 8 para investigação de suposto vazamento da Operação Furna da Onça.

O empresário Paulo Marinho, ex-aliado de Flávio, disse que as informações sobre a investigação foram repassadas com antecedência por um delegado da PF a aliados do atual senador. A Operação foi deflagrada em novembro de 2018 e acarretou em várias prisões de parlamentares do Rio de Janeiro. Foi neste contexto que os investigadores chegaram a Queiroz como suspeito de administrar um esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro. O ex-assessor disse não lembrar de ter falado com o presidente da República após a divulgação do caso.

As principais testemunhas destas investigações já prestaram depoimento e, agora, será apurado se houve interferência de policiais federais no suposto vazamento. Atualmente, Fabrício Queiroz está em prisão domiciliar na residência dele, na zona oeste da capital fluminense, sob a justificativa de “condições pessoais de saúde” — mas a Procuradoria-geral da República recorreu a Superior Tribunal de Justiça para que o ex-assessor parlamentar e a esposa voltem para a cadeia.

*Com informações da repórter Camila Yunes