“Quem tiver responsabilidade com o Brasil votará a favor da reforma da Previdência”, diz relator

  • Por Jovem Pan
  • 07/08/2017 08h37 - Atualizado em 07/08/2017 13h39
Brasília - O deputado Arthur Maia fala sobre a reforma da previdência social (José Cruz/Agência Brasil)"A decisão de acabar com os privilégios ou não é votar ou não votar a favor da reforma. É isso que nós temos que enfrentar”, disse

Passada a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, o Governo volta às articulações para votar a matéria que era considerada prioritária desde o início do mandato do peemedebista: a reforma da Previdência.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o relator da reforma previdenciária, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que é preciso desmistificar que esta vem para prejudicar os trabalhadores e disse que o que se combate são os privilegiados. Segundo ele, “quem tiver responsabilidade com o Brasil votará a favor da reforma, e quem não tiver, não votará”.

“Ao longo deste processo atendi cerca de 200 pedidos de audiência. Destes, 180 foram de funcionários públicos. Não esteve no meu gabinete quem recebe salário mínimo. Quem esteve no meu gabinete foram os privilegiados e são esses que estamos combatendo. A decisão de acabar com os privilégios ou não é votar ou não votar a favor da reforma. É isso que nós temos que enfrentar”, disse.

Arthur Maia relembrou ainda aqueles que criticam a reforma sem conhecê-la e por acreditarem em discursos falsos: “é mais fácil convencer alguém de premissa falsa, porém simples, do que verdade mais complexa. Reforma da Previdência é um tema complexo e necessário de ser enfrentado pelo Brasil”.

Sobre os discursos de “desidratar” a reforma e deixar para 2019, o relator concordou que é possível esperar, mas que também seria necessário arcar com as consequências da postergação. “É claro que é possível esperar 2019. 2019 chegará independentemente da nossa vontade. Agora, o detalhe é como chegaremos em 2019”, disse.

Outro assunto importante para o Governo é a reforma política. Questionado se esta atrapalharia as discussões em torno da Previdência, Maia negou e disse que uma não depende da outra.

Confira a entrevista completa: