Receita Federal: Não há indícios de crime de Gilmar Mendes em relação a seu patrimônio

  • Por Jovem Pan
  • 26/02/2019 09h39
Rosinei Coutinho/SCO/STF Auditores apontaram indícios em análise fiscal interna que vazou, e o ministro do Supremo Tribunal Federal solicitou a apuração do episódio

A Receita Federal descartou crime do ministro Gilmar Mendes em relação a seu patrimônio. Auditores apontaram indícios em análise fiscal interna que vazou, e o ministro do Supremo Tribunal Federal solicitou a apuração do episódio.

O coordenador de Programação da Atividade Fiscal da Receita, Pedro Bastos, comunicou à PGR que a suspeita de crimes apontada em relatório é genérica, sem indícios concretos, e confirmou o vazamento ilegal.

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, determinou à Corregedoria do órgão a apuração do caso.

A análise de interesse fiscal da equipe especial de fraudes teria apontado indícios de práticas de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência do ministro e de sua esposa Guiomar Mendes.

O conteúdo e análise dos dossiês, entretanto, não permitiram afirmar a eventual existência dos crimes citados genericamente, segundo explicou Bastos em documento assinado em 14 de fevereiro.

Os dados foram disponibilizados incorretamente por contribuinte intimado a prestar esclarecimentos antes da definição de abertura de procedimento fiscal.

O documento foi emitido após pedidos de apuração feitos por Gilmar Mendes, que também solicitou que integrantes do Ministério Público sejam investigados em razão da suspeita de estarem pressionando delatores a envolverem seu nome em irregularidades.

*Informações do repórter Marcelo Mattos