Redução temporária de salários encontra resistência na Câmara

  • Por Jovem Pan
  • 30/03/2020 07h55
Michel Jesus/Câmara dos DeputadosAs propostas valem durante o estado de calamidade pública pelo governo federal e o dinheiro economizado iria para o ministério da Saúde

Propostas que reduzem o salário de parlamentares e servidores públicos durante a crise do coronavírus podem ser votadas nos próximos dias pelo Congresso Nacional.

Um projeto do líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio, reduz o salário dos serviços de forma exponencial. Servidores tenham decréscimo de 10%, enquanto aqueles com salário acima de R$ 10 mil mensais teriam redução de 20% a 50%. Trabalhadores da área da segurança pública e saúde ficariam fora da proposta.

Já o líder do Novo, Paulo Ganime, propõe cortes de forma escalonada de acordo com a remuneração.

Ambas as propostas valem durante o estado de calamidade pública pelo governo federal e o dinheiro economizado iria para o ministério da Saúde para combate ao coronavírus.

O tema deve ser aprofundado nesta semana em conversa entre lideranças partidárias e representantes dos três poderes. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já se mostrou favorável.

“O Brasil vai ficar mais pobre, então todos precisar contribuir e todos vão ter que ajustar e organizar suas contas em uma nova realidade.”

Mas as propostas encontram resistências principalmente no poder judiciário. Além de membros da alta cúpula do Supremo Tribunal Federal, associações de diferentes carreiras, como dos advogados públicos, se mostram contrárias, afirmando que a medida colocaria o Brasil na contramão de outros países como os Estados Unidos e o Reino Unido.

*Com informações do repórter Levy Guimarães