Reino Unido anuncia proibição de venda de carros novos movidos a diesel e gasolina a partir de 2040

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 26/07/2017 09h41
HM046 LONDRES (REINO UNIDO) 24/06/2016.- Un taxista londinense ondea una bandera británica mientras circula por una calle donde una bandera europea ondea en una ventana en Londres (Reino Unido) hoy, 24 de junio de 2016. El Reino Unido votó a favor de abandonar la Unión Europea (UE) tras conseguir el 52% del respaldo ciudadano frente al 48% que apoyó la permanencia, en el referéndum celebrado este jueves sobre su relación con el bloque comunitario. EFE/Hannah MckayMeta vai funcionar mais como um estímulo para que a indústria automobilística acelere de vez os planos a favor dos motores movidos a energia elétrica

Os Estados Unidos podem ter abandonado o Acordo de Paris, que trata das mudanças climáticas, mas os europeus seguem a todo vapor no plano de reduzir a emissão de poluentes na atmosfera.

Existe uma verdadeira guerra contra os combustíveis fósseis. O governo do Reino Unido anuncia nesta quarta-feira (26) a proibição completa da venda de carros novos movidos a diesel e gasolina a partir de 2040. O principal motivo para esta proibição não são apenas as mudanças climáticas, mas principalmente a qualidade terrível do ar que se respira.

É uma meta ambiciosa e de longo prazo, sem dúvidas. Mas provavelmente ela vai funcionar mais como um estímulo para que a indústria automobilística acelere de vez os planos a favor dos motores movidos a energia elétrica.

A marca sueca Volvo, que na verdade pertence a um grupo chinês, anunciou recentemente que vai parar de produzir e vender carros que rodam somente com combustíveis fósseis já a partir de 2019.

Outras grandes montadoras também estão ampliando suas linhas de elétricos e híbridos, incluindo os carros de luxo. A startup americana Tesla já começou a entregar seu modelo com preço mais acessível.

As ruas de Londres, em vários sentidos, já parecem cenário de filmes futuristas em vários sentidos – mesmo que muitas sejam milenares. Os carros elétricos, que andam sem fazer barulho, são presença constante.

Os pontos de recarga também se multiplicaram nos últimos anos. A imagem de carros parados na rua com um cabo conectado a um poste na calçada já não é mais novidade.

É bem provável que quando a proibição para os carros novos movidos a gasolina e diesel entrar em vigor em 2040 a lei já tenha se tornado obsoleta por força do mercado mesmo.

A França, que vem restringindo ano a ano a circulação de veículos movidos a diesel, também já anunciou medida semelhante.

O governo britânico ainda está lançando um pacote milionário para modernizar o tráfego do país, com mudanças no traçado de ruas e reformas no transporte público.

O equivalente a mais de um bilhão de reais será investido só para reprogramar os semáforos ao redor do país, o que ajuda na fluidez e reduz as emissões.

Os ambientalistas da Inglaterra ainda estão reticentes com o plano porque queriam medidas ainda mais agressivas. Até porque não são só os automóveis que poluem o planeta. Na verdade, o grosso vem mesmo de outros lugares. Indústrias, agronegócio, aviação, só para citar alguns exemplos, não serão afetados diretamente pelas medidas anunciadas hoje.