Reino Unido flexibiliza restrições de viagem nesta sexta-feira

Quem chega em Londres de 60 países diferentes não precisa mais enfrentar uma quarentena obrigatória

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 10/07/2020 08h44
EFE/EPA/FACUNDO ARRIZABALAGAA reabertura de galerias de arte e atrações turísticas não é sustentável apenas com visitantes internos

As restrições de viagens no Reino Unido começam a ser flexibilizadas a partir desta sexta-feira (10) para trazer algum alívio para os setores do turismo, aviação civil e tudo que envolve dinheiro estrangeiro. Se por um lado os britânicos estão desesperados para deixar o país e aproveitar o verão em lugares mais quentes e aprazíveis, por outro Londres também sente falta de seus visitantes. A cidade está visivelmente mais vazia. A reabertura de galerias de arte e atrações turísticas não é sustentável apenas com visitantes internos.

A partir desta sexta-feira quem chega em Londres vindo de 60 países diferentes não precisa mais enfrentar uma quarentena obrigatória. Entre os países contemplados estão França, Alemanha e Itália — destinos que também são muito procurados pelos britânicos. Portugal, que nesta época do ano costuma ter seus balneários invadidos por cidadãos do Reino Unido, acabou ficando de fora da lista. Isso criou grande insatisfação entre os portugueses que lembram o fato do coronavírus ter sido muito mais agressivo em território britânico. Mas, de fato, Portugal tem registrado um aumento expressivo nos casos de Covid-19 nas últimas semanas.

O Brasil, evidentemente, não está na lista de países que foram isentos da quarentena no Reino Unido. E nem deve ser tão cedo. Isso quer dizer que uma pessoa que deixa o território brasileiro com destino a Inglaterra pode entrar aqui, mas terá que cumprir quarentena de duas semanas isolada. Se for flagrado na rua, o visitante pode ser multado no equivalente a quase R$ 7 mil.

Também nesta sexta-feira foram liberadas as apresentações musicais e teatrais ao ar livre aqui na Inglaterra. As academias de ginástica também já tem data para reabrir — será no próximo dia 25 de julho. Na prática, a vida está cada vez mais próxima do que era antes da pandemia. O grande movimento que ainda não foi dado é o retorno dos escritórios. A maioria das pessoas continua trabalhando de casa, mas a sensação é que isso deve mudar a partir de setembro quando o ano letivo for retomado. O governo já avisou que os pais serão obrigados a mandar seus filhos para escola e quem não cumprir a regra poderá até ser multado no equivalente a cerca de R$ 800.