Reino Unido irá taxar receita local de gigantes da internet

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 01/11/2018 09h38
PixabayA partir de 2020 elas terão que pagar 2% de imposto nas vendas realizadas em território britânico

O Reino Unido entrou para a lista de países que pretendem acabar com a vida fácil que as gigantes de internet têm quando o assunto é pagamento de impostos.

O governo de Londres anunciou nesta semana que vai criar um novo tributo para garantir que empresas como Facebook, Google e Amazon também deixem uma fatia considerável de suas receitas no país.

A partir de 2020 elas terão que pagar 2% de imposto nas vendas realizadas em território britânico.

Atualmente, as gigantes de internet só pagam impostos nos países onde estão fisicamente sediadas – e até nesses locais, como Irlanda e Holanda, as contribuições já são quase irrisórias por causa dos acordos de incentivo fiscal.

Por isso, o governo britânico quer criar a nova taxa. A União Europeia também estuda medida ainda mais rígida, que prevê um imposto de 3% sobre o faturamento anual destas empresas.

Acontece que como a maior parte delas é formada por americanos, Washington começou a reagir negativamente.

Alguns políticos dos Estados Unidos já alertaram que a criação do novo imposto pode colocar em risco as negociações para um acordo comercial bilateral com os britânicos.

Os países que integram a OCDE estão discutindo a questão e para os americanos a criação de qualquer tarifa agora, antes das conclusões da organização, seria algo precipitado.

Mas o fato é que as leis tributárias ao redor do mundo ainda não se atualizaram para lidar com as gigantes de tecnologia. E enquanto isso essas empresas se valem de esquemas bastante questionáveis para não pagar os mesmos impostos que outros setores da economia estão submetidos. E é isso que os europeus tentam corrigir agora.