Reino Unido pode estar perto do pico do coronavírus ao registrar 854 mortes em um dia

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 08/04/2020 07h20
EFE/EPA/WILL OLIVERCom o líder do país afastado em meio a maior crise desde a Segunda Guerra Mundial, os britânicos seguem cada vez mais ansiosos

O primeiro-ministro britânico passou a terceira noite no hospital, a segunda internado na UTI, por conta do coronavírus. Com o líder do país afastado em meio a maior crise desde a Segunda Guerra Mundial, os britânicos seguem cada vez mais ansiosos.

Na prática, não há uma pessoa específica no comando: secretário do Exterior, Dominic Raab, assumiu o posto no papel. Mas ele mesmo já confirmou que as decisões serão tomadas de forma coletiva pelo gabinete conservador.

A questão é que o Reino Unido parece estar chegando ao pico de contaminações e mortes causadas por coronavírus. Na terça-feira (7) o governo confirmou que 854 pessoas perderam a vida por conta do covid-19 nas últimas 24 horas antes do balanço.

A estatística macabra é próxima do pico registrado na Espanha e na Itália, países mais afetados da Europa até agora.

Desde o início da crise, o governo conservador insistia que a Grã Bretanha estava algo entre 10 e 15 dias atrás dos italianos e que a pandemia teria os mesmos efeitos catastróficos aqui na ilha da rainha Elizabeth II. De fato, eles estavam corretos.

Lembrando que este número de 854 mortes só leva em conta as estatísticas dos hospitais, é certo que mais gente está morrendo ao redor do país. E ainda assim ninguém sabe ao certo quando o primeiro-ministro irá voltar.

O porta-voz do governo confirmou que Johnson está respirando sem ajuda de aparelhos e se mantém bem humorado. Mas, na ausência dele, a decisão de rever a quarentena e as medidas de distanciamento social não será mais tomada na próxima segunda-feira.

Ninguém por aqui esperava um relaxamento das regras tão cedo, para ser honesto. Três semanas em casa para combater o coronavírus parece muito pouco diante do tamanho desta crise por aqui.

Na verdade, Espanha, Itália e França não apenas estão confinados há mais tempo como vieram endurecendo as regras ao longo dos dias.

Ainda assim não deixa de colaborar para a sensação de ansiedade geral entre os britânicos o fato de que claramente ninguém sabe o que vai acontecer. Nem quais medidas serão tomadas nos próximas dias.

Índice de poluição despencam

Os índices de poluição despencaram no Reino Unido por conta das duas semanas de quarentena. Os níveis de dióxido de nitrogênio, que é emitido pelos escapamentos de automóveis e um dos grandes poluidores do ar, chegaram a cair até 60% em algumas cidades britânicas.

Não é exagero. Aqui em Londres, uma das cidades mais poluídas do mundo, dá para sentir a diferença só de abrir a janela.