Relator do Orçamento propõe ampliar fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2019 06h27 - Atualizado em 04/12/2019 06h28
Cláudio AraújoO presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que a situação não é apropriada para esse tipo de gasto enquanto há questões mais urgentes

Nesta terça-feira (3), o relator do Orçamento de 2020, Domingos Neto (PSD-CE), propôs um aumento de verba para as eleições municipais do ano que vem. O fundo eleitoral, que conta com o dinheiro público para o financiamento de campanhas políticas, pode aumentar.

O Governo estava disposto a arcar com R$ 2,5 bilhões. Na semana passada, inclusive, fez uma revisão para reduzir o valor para R$ 2 bilhões.

No entanto, baseado na expectativa de maior arrecadação em 2020, o relator propôs aumentar o montante do fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões. A Comissão de Orçamento prevê que, no próximo ano, o país conseguirá arrecadar R$ 7 bilhões.

Domingos Neto ainda afirmou que este foi um pedido realizado por presidentes de diversos partidos.

A proposta gera divergência: o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que a situação não é apropriada para esse tipo de gasto enquanto há questões mais urgentes a serem tratadas. Mas o relator garante que nenhum recurso da Educação ou da Saúde será repassado para o fundo eleitoral.

A matéria ainda está em discussão e tem que ser aprovada pela Comissão Mista de Orçamento e também pelo plenário do Congresso.

Está marcado para está quarta-feira (4) que a Comissão vote o parecer preliminar do relator.

*Com informações da repórter Camila Yunes