Representantes das Santas Casas discutem repasses com ministro da Saúde

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2018 09h38
Wikimedia CommonsSanta Casa de São Paulo faz mais de 4 milhões de procedimentos médicos por ano

Representantes das Santas Casas se reúnem nesta quinta-feira (17) com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, para discutir o custeio das instituições. Em São Paulo, a crise financeira na instituição faz os pacientes sofrerem com problemas no atendimento.

Procedimentos oferecidos comumente passaram a atrasar ou ser cancelados. O vendedor Arlindo Ferreira, que enfrenta um câncer, diz que foi orientado a aguardar 10 dias para ser atendido, mas não teve retorno.

O hospital, que atende apenas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), trabalha com um déficit de R$ 10 milhões por mês.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Marco Antonio Zago, o governo paulista tem mantido o investimento na instituição. “O governo está transferindo cerca de R$ 11 milhões por mês para o funcionamento desta importante peça de atendimento na região metropolitana de São Paulo. Vou me informar se há algo mais que pode ser feito dentro dos recursos próprios para manter a qualidade do atendimento”, revelou Zago.

O secretário afirma que, além do problema da Santa Casa de São Paulo, é preciso observar a situação das instituições no interior.

Já o diretor da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes de São Paulo, Edson Rogatti, ressalta a Matheus Meirelles o apoio do governo federal: “A Santa Casa de São Paulo tem uma dívida muito grande de R$ 800 milhões. Estamos fazendo um trabalho junto ao governo federal para ela ter um fôlego”, disse Rogatti.

A Santa Casa de São Paulo atende 2,5 milhões de pessoas e faz mais de 4 milhões de procedimentos médicos por ano. O hospital alega que problemas pontuais poderão acontecer em casos de pacientes que tenham exames eletivos, aqueles que não são urgentes.

*Com informações dos repórteres Tiago Muniz e Matheus Meirelles