Revisão de delação de executivos da JBS deve ser feita por Dodge

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2017 06h14 - Atualizado em 12/09/2017 11h27
Fotos Públicas Será de Dodge a decisão de redefinir a importante delação que chegou a gravar o presidente Michel Temer

A prisão de Joesley Batista e Ricardo Saud foi apenas o primeiro passo na revisão da delação premiada. O processo será remontado, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, está certo de que a vantajosa delação foi garantida com a participação do ex-procurador Marcello Miller.

Os documentos e computadores recolhidos pelo Ministério Público e Polícia Federal vão indicar se houve omissão ou delação seletiva dos diretores da JBS.

Em depoimento, Joesley já garantiu que Miller não vendeu facilidades, mas confirmou que ele trabalhava para o grupo. Os donos da JBS estão encrencados. A nova procuradora-geral, Raquel Dodge, é contra a concessão de vantagens excessivas para os colaboradores.

Será de Dodge a decisão de redefinir a importante delação que chegou a gravar o presidente Michel Temer e envolver dois mil políticos.

*Informações do repórter José Maria Trindade