Rito de votação da denúncia contra Temer na Câmara é definido

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2017 06h29 - Atualizado em 21/07/2017 11h04
A tendência é de que a denúncia acabe na Câmara, já que a oposição não tem votos contrários ao relatório suficientes

No dia 2 de agosto, será feita a votação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer no plenário da Câmara.

O procedimento adotado nesta data ficou definido da seguinte forma: o relator do parecer que foi aprovado na CCJ, o deputado Paulo Abi-Ackel, terá a palavra por 25 minutos. O mesmo tempo será dado ao advogado de Michel Temer, que provavelmente será Antônio Cláudio Mariz.

Os oradores inscritos poderão falar por cinco minutos, alternando-se entre contrários e favoráveis ao parecer. Encerrada a discussão, passa-se à fase de votação.

A votação somente poderá ser iniciada com o registro de presença de 342 deputados. Dois oradores de cada lado farão uso da palavra por até cinco minutos, e aí os parlamentares presentes serão chamados em ordem alfabética, por Estado, alternadamente do Norte para o Sul.

Se 342 deputados votarem “não” ao relatório aprovado na CCJ, a denúncia seguirá para o Supremo Tribunal Federal. Caso contrário, o pedido será arquivado.

A tendência é de que a denúncia acabe na Câmara, já que a oposição não tem votos contrários ao relatório suficientes para encaminhar o pedido ao STF.

*Informações do repórter Arthur Scotti