RJ: Alerj aprova ensino remoto até descoberta de vacina ou remédio contra Covid-19

Com o texto aprovado, a medida garante ensino remoto opcional para escolas da rede pública e privada do Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2020 08h27
Renato Cukier/Estadão ConteúdoO deputado Waldeck Carneiro da Silva, autor do projeto aprovado na Alerj, diz que o ensino remoto deve ser uma opção para alunos e pais até que surja uma vacina ou remédio contra a Covid-19

A divergência entre cidade e estado do Rio de Janeiro sobre o retorno das aulas presenciais ganha novos contornos. Na quarta-feira, 04, deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovaram um Projeto de Lei que prevê o ensino remoto opcional até a descoberta da vacina ou medicamento eficaz contra a Covid-19. No texto aprovado, a medida vale tanto para escolas da rede pública quanto da rede privada. A prefeitura do Rio de Janeiro permitiu, nesta semana, que escolas privadas voltassem as aulas presenciais em quatro anos do ensino fundamental. No entanto, poucos colégios aderiram a essa permissão. Enquanto isso, o Estado prorrogou a proibição de aula presencial nos colégios públicos e privados. O Ministério Púbico e a Defensoria Pública também são contra as aulas presenciais durante a pandemia.

 

O deputado Waldeck Carneiro da Silva, autor do projeto aprovado na Alerj, diz que o ensino remoto deve ser uma opção para alunos e pais até que surja uma vacina ou remédio contra a Covid-19. “Nós continuamos defendendo que é cedo para voltar escolas, é prematura, arriscado, é temerário. É preciso que a ciência fale e as autoridades sanitárias atestem a volta. Enquanto isso, não é possível voltar”, afirma. Ao mesmo tempo, o Estado do Rio de Janeiro acumula 13.855 mortes pelo coronavírus e 172.689 casos confirmações.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga