RJ: Polícia investiga morte de bebê de 6 meses que sofreu queimaduras em hospital

A família afirmou que a criança teve queimaduras de segundo grau e terceiro grau após atendimento de uma enfermeira

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2020 11h49 - Atualizado em 31/08/2020 09h11
Divulgação/PMRJA polícia do Rio de Janeiro decidi indiciar a enfermeira do hospital pelo crime de homicídio

Terminou em tragédia o caso da bebê de seis meses que teve quase 40% do corpo queimado em um hospital no Rio de Janeiro. A pequena Juliana estava internada no Hospital Getúlio Vargas Filho em Niterói. A família afirmou que a criança teve queimaduras de segundo grau e terceiro grau após atendimento de uma enfermeira. As primeiras informações eram que a profissional teria colocado a bebê de seis meses por muito tempo dentro de uma manta térmica. No entanto, investigações da polícia fluminense apontaram que essa versão não era real.

Na verdade, a enfermeira que cuidava da menina colocou a criança dentro de uma banheira com água fervendo, sem tomar conhecimento prévio da real temperatura da água. Com isso, a bebê teve queimaduras em 37% do corpo. Juliana ficou internada durante vários dias no CTI do hospital, mas infelizmente não resistiu aos graves ferimentos. A polícia do Rio de Janeiro decidi indiciar a enfermeira do hospital pelo crime de homicídio.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga