Roberto Jefferson nega envolvimento com indicação de jovem para Ministério do Trabalho

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2018 07h26 - Atualizado em 12/03/2018 08h01
Valter Campanato/Agência BrasilNo Twitter, Roberto Jefferson disse que não foi o responsável pela indicação do garoto, mas que foi o responsável pela demissão dele

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, lavou as mãos sobre a indicação do partido dele de um adolescente de 19 anos para o Ministério do Trabalho. No Twitter, Roberto Jefferson disse que não foi o responsável pela indicação do garoto, mas que foi o responsável pela demissão dele, e se isentou da culpa dizendo que quem colocou o menino lá foi a turma de Goiás.

Jefferson terminou o post dizendo que não tem nada a ver “com a trapalhada dos outros”, como se uma indicação para um cargo importante como o que estava em questão não precisasse da benção do presidente do partido.

O jovem Micael Tavares Medeiros, de 19 anos, foi nomeado para o cargo de gestor financeiro de recursos políticos, responsável por movimentar um orçamento de R$ 500 milhões por ano. O garoto era quem autorizaria a liberação de todo esse dinheiro. Ele é filho do presidente do PTB de Planaltina de Goiás, Cristiomário Medeiros.

Cristiomário é aliado do líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes, padrinho político do Micael. Micael foi nomeado para o cargo pelo ministro interino do Trabalho, Helton Yomura, que é do PTB. Cargo que era para ter sido ocupado pela filha do presidente nacional do partido, Roberto Jefferson.

Já nos primeiros dias no novo trabalho, o menino deu algumas canetadas que permitiram o pagamento de R$ 27 milhões a uma empresa chamada Business to Technology, contratada para investigar fraudes no Seguro Desemprego.

Dez anos atrás essa mesma empresa já mantinha contratos com o mesmo Ministério do Trabalho, mas recebia bem menos por esses contratos: R$ 20 mil. Ano passado, quando o responsável pela área de contratações era Leonardo Arantes, sobrinho do deputado Jovair Arantes, a empresa Business to Technology aumentou significativamente os ganhos, e passou a assinar contratos de R$ 40 milhões.

*Informações do repórter Caio Rocha