Rodovia dos Bandeirantes é considerada a melhor do País pela sétima vez consecutiva

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2018 07h54
André Lessa/Estadão ConteúdoDe acordo com o estudo, a malha rodoviária que passa por São Paulo tem 78% de sua extensão classificada como ótima ou boa

Dezoito das 20 melhores rodovias do Brasil estão no Estado de São Paulo. Isso é o que aponta pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes, a CNT, divulgada nesta quarta-feira (17).

A Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) é considerada a melhor rodovia do país pelo sétimo ano consecutivo, seguida das Rodovias D. Pedro I e a SP-340 que formam a ligação Campinas–Jacareí e da SP-225, que liga o município de Bauru à Itirapina.

De acordo com o estudo, a malha rodoviária que passa por São Paulo tem 78% de sua extensão classificada como ótima ou boa, muito acima da média brasileira, que mostrou ter 57% dos trechos avaliados com classificação regular, ruim ou péssima. Ainda assim, indicativo de evolução, pois no ano passado, esse percentual era de 61,8%.

Em todo o país, no entanto, o número de pontos críticos, ou seja, situações que podem trazer graves riscos à segurança dos usuários, subiu de 363 para 454, aumento de 25,1%.

Segundo a pesquisa, somente os problemas no asfaltamento geram um aumento médio de 26,7% no custo operacional do transporte.

Para a CNT, a falta de investimentos é o principal problema das rodovias. Para corrigir os problemas mais urgentes, a confederação estima ser necessária verba de R$ 48 milhões.

No entanto, isso é sete vezes mais do que o orçado pelo governo federal para todas obras em transporte rodoviário este ano, que ficou em cerca de R$ 6,9 bilhões.

Outro dado alarmante é o custo dos acidentes. No ano passado foram mais de 89 mil casos em rodovias federais, demandando prejuízo aproximado de R$ 10,7 bilhões.

Dentre os dez piores trechos do Brasil, sete passam por rodovias do Norte e Nordeste Brasileiro. A última posição fica para a ligação entre Natividade, no Tocantins, e Barreiras, na Bahia.

*Informações do repórter Fernando Martins