Rota 2030 evidencia riscos de incentivos a setores específicos da economia

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2018 10h29
GERJO Rota 2030 substitui o Inovar Auto e deveria vigorar no início de 2018, mas uma disputa entre os ministérios da Fazenda e da Indústria e Comércio atrasou o modelo

Novo regime automotivo brasileiro garante R$ 1,5 bilhão às montadoras em deduções nas áreas de pesquisa e desenvolvimento.

O presidente da Anfavea, Antonio Megale, analisou as críticas de outros setores dos permanentes incentivos aos fabricantes de veículos.

O Rota 2030 substitui o Inovar Auto e deveria vigorar no início de 2018, mas uma disputa entre os ministérios da Fazenda e da Indústria e Comércio atrasou o modelo justamente pelos incentivos.

O secretário do Ministério da Indústria e Comércio, Igor Calvet, explicou que o país segue uma tendência mundial.

A medida provisória que institui o Rota 2030 foi assinada apenas em julho pelo presidente Michel Temer e ainda depende da aprovação do Congresso, e deve vigorar apenas em 2019.

O Inovar Auto foi condenado pela OMC por protecionismo. O Rota 2030 concederá incentivos de R$ 1,5 bilhão anuais, desde que as montadoras invistam R$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento no mesmo período.

*Informações do repórter Marcelo Mattos