Roubos de carga e contrabando movimentam mercado ilícito de R$ 15 bi somente em SP

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2018 09h29
ReproduçãoO levantamento do Departamento de Segurança da Fiesp engloba nove mercados, como eletrônicos, tabaco, medicamentos, automotivo e vestuário

Roubo de carga, furtos e contrabando movimentam um mercado ilícito de R$ 15 bilhões, somente no Estado de São Paulo.

O levantamento do Departamento de Segurança da Fiesp engloba nove mercados, como eletrônicos, tabaco, medicamentos, automotivo e vestuário.

A insegurança é tamanha que hoje cargas de celulares seguem em comboio, com escolta terrestre e também acompanhamento aéreo com helicópteros.

O consultor do Observatório de Mercados Ilícitos, da Fiesp, João Henrique Martins, ressaltou que os criminosos ganham muito e correm pouco risco no país.

Hoje, para contratar um seguro de transporte, o valor é crescente, a maioria das empresas não estão operando ou exigem grande controle da carga.

Martins citou o ranking de competitividade, do Fórum Econômico Mundial, com 137 países, e o impacto da violência no Brasil.

O comércio varejista vive um crescimento nos roubos de carga, furtos, arrombamentos de lojas, num reflexo imediato para o consumidor.

O supervisor geral da Lojas Cem, José Domingos Alves, reforçou a existência de um comércio paralelo no país.

Esse é o ponto fundamental para a escalada dos roubos de carga, um mercado logístico paralelo ao oficial e consumidores para vender os produtos.

O custo da criminalidade acaba sendo repassado ao valor das mercadorias que os brasileiros compram diariamente no comércio formal.

*Informações do repórter Marcelo Mattos