Saiba quem são as vítimas do ataque que deixou 8 mortos e vários feridos em NY

  • Por Jovem Pan
  • 02/11/2017 08h34
EFESeis das vítimas eram turistas que visitavam a cidade: 5 argentinos e uma belga

Terça-feira dia 31 de outubro de 2017: um atentado terrorista mata oito pessoas em Manhattan, o coração de Nova York. Seis das vítimas eram turistas que visitavam a cidade: 5 argentinos e uma belga.

Um grupo de oito colegas deixou a cidade de Rosário, na Argentina, para comemorar os 30 anos de formatura e visitar dois amigos que moram nos Estados Unidos.

O empresário Ariel Erlij, de 48 anos, foi quem organizou a viagem dos amigos, e teria até bancado passagens para alguns dos companheiros.

Pai de três filhos, Erlij trabalhava na área siderúrgica e imobiliária e era um empresário conhecido da região de Rosário.

Ele e outros quatro colegas do grupo foram mortos após o uzbeque Sayfullo Saipov passar com uma caminhonete na ciclovia em que eles pedalavam.

Hernán Ferruchi, de 48 anos, era arquiteto formado em uma das mais prestigiadas universidades da Argentina, assim como o colega Diego Angelini, que também perdeu a vida no atentado.

O arquiteto Hernán Mendoza era sócio de Angelini e já representou a Argentina em campeonatos internacionais de atletismo – ele deixa 3 filhos.

Alejandro Damián era formado em arquitetura, mas trabalhava como executivo de contas, e aos 49 anos deixa três filhas.

O presidente argentino, Maurício Macri, prestou condolências às famílias e declarou que “não há lugar para áreas cinzentas, e que todos devem se comprometer dos pés à cabeça na luta contra o terrorismo”.

Outra turista vítima do atentando em Manhattan foi Ann-Laure Decadt, de 31 anos, que tinha dois filhos: um de três anos e outro de apenas três meses.

Ela estava visitando a irmã na cidade e pretendia deixar o país na sexta-feira.

Além dos turistas, os americanos Darren Drake e Nicholas Cleves também morreram no atentado.

Drake era gerente de programação em Nova Jersey, e de acordo com familiares, sempre pedalava para perder peso.

O jovem Cleves, de 23 anos, morava em West Village, bem próximo ao local do ataque e andava de bicicleta quando foi atingido pela caminhonete.

Esse ataque em Nova York, próximo ao memorial do World Trade Center é o primeiro atentado com mortos na cidade desde o 11 de setembro de 2001.

De acordo com as autoridades, Sayfullo Saipov agiu sozinho e tinha ligações virtuais com o Estado Islâmico.

O presidente Donald Trump já anunciou mudanças para o programa de loteria de vistos, que permitiu a entrada do terrorista no país.

O republicano afirmou que vai lutar por um programa baseado no mérito, em que as pessoas entram no país com base no mérito.

A Loteria Diversidade de Vistos funciona por meio de um sorteio e foi criada na década de noventa, no governo Bush.

Trump quer acabar com esse programa, que – na época – foi apoiado pelo próprio Partido Republicano.

Confira a reportagem completa de Marcella Lourenzetto: