Salles: Brasil vai à OEA cobrar informações da Venezuela sobre óleo no Nordeste

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2019 07h09 - Atualizado em 24/10/2019 11h40
Vinícius Loures/Câmara dos DeputadosMinistro disse que o presidente Jair Bolsonaro vai liberar seguro defesa

Diante da grande quantidade de óleo que tem sido encontrada no Nordeste, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se pronunciou sobre o assunto na noite desta quarta-feira (23). No comunicado, ele afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) pediu que fosse encaminhada solicitação formal à Organização dos Estados Americanos (OEA) para que a Venezuela se manifeste a respeito do material recolhido.

Segundo Salles, as analises técnicas apontaram que as amostras comprovam que a substância é de origem venezuelana. Ele ainda reiterou que as investigações estão sendo realizadas não apenas para acabar com o surgimento do óleo, “mas também responsabilizar aqueles que tenham contribuído para esse desastre ambiental”.

O ministro informou que operações conjuntas estão sendo realizadas para a remoção do produto. “Participam diversos órgãos como Defesa Civil, Agência Nacional de Águas (ANA), ICMBio, Ibama, Agência Nacional do Petróleo (ANP), Petrobras, Marinha e órgãos estaduais e municipais.”

Salles disse, ainda, que Bolsonaro vai liberar o seguro defesa. “O presidente Jair Bolsonaro determinou ainda a liberação de seguro defesa para aqueles que vivem da pesca e que tenham sido prejudicados pela contaminação do óleo, bem como o auxílio aos estados e municípios atingidos”, garantiu.

De acordo com o ministro, a limpeza do litoral esta sendo eficiente para que tanto os moradores locais como os turistas não sejam afetados. Salles fez um alerta aos voluntários que estão atuando na retirada do óleo para que sejam usadas proteções adequadas, a fim de que as pessoas não sejam contaminadas pela substância.

Também nesta quarta-feira (23), o governo federal reconheceu estado de emergência na cidade de São José da Coroa Grande, em Pernambuco. A praia da cidade foi a primeira a ser atingida após o ressurgimento do petróleo no litoral sul do Estado.

Com o reconhecimento da emergência, o governo deve arcar com a limpeza dos locais e transporte do material recolhido. O valor que será repassado para a o município ainda não foi divulgado.

*Com informações da repórter Camila Yunes