Salles quer apoio de países desenvolvidos na proteção à Amazônia

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2019 07h03
Marcos Corrêa/PRSalles preferiu não comentar sobre a prisão preventiva de brigadistas e disse que o caso já está sendo investigado pela polícia

Ricardo Salles vai cobrar, na COP-25, recursos de países desenvolvidos para o pagamento de preservação de áreas excedentes da reserva legal. A Conferência do Clima vai de 2 a 13 de dezembro, em Madrid, na Espanha, e deverá ser marcada pelo debate sobre o aquecimento global.

O Brasil tem a missão de mostrar aos participantes que está preocupado com a Amazônia. O ministro do Meio Ambiente reitera que o país cumpre rigorosamente o Código Florestal.

Em audiência pública na Câmara, nesta quarta-feira (27), o ministro do Meio Ambiente voltou a defender as unidades de conservação. Para Ricardo Salles, são necessárias políticas públicas voltadas para as pessoas que, por exemplo, habitam a Amazônia.

“Deixar as pessoas para trás, como aconteceu com a Amazônia. Muitas vezes sucumbi-las a visões equivocadas, é deixar as pessoas para trás.”

Falando aos deputados, o ministro do Meio Ambiente diz que a propriedade privada é sagrada no Brasil. Ricardo Salles acrescenta que é impossível fazer discussão ambiental sem debater consequências sociais.

Após a audiência na Câmara dos Deputados, o ministro foi questionado sobre a prisão preventiva de membros da ONG Brigada de Alter do Chão, no Pará.

Salles preferiu não comentar o assunto e disse que o caso já está sendo investigado pela polícia e é preciso “aguardar o encaminhamento”.

No entanto, ele se manifestou pelo Twitter lamentando a situação e demonstrando apoio ao presidente Jair Bolsonaro, afirmando que ele estava certo com relação às ONGs.

*Com informações da repórter Camila Yunes