Samuel Moreira: Maia tomou a decisão certa ao adiar 2º turno da Previdência

Objetivo inicial era concluir os dois turnos de votação ainda no primeiro semestre deste ano, mas a segunda rodada ficou para depois do recesso parlamentar, em agosto

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2019 09h16
Divulgação/Agência CâmaraO relator da reforma da Previdência na comissão especial, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP)

O relator da reforma da Previdência na comissão especial, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), afirmou neste sábado (13) em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), agiu com “prudência” e tomou a “decisão correta” ao adiar para agosto o segundo turno da votação da proposta. O objetivo inicial era concluir os dois turnos de votação ainda no primeiro semestre deste ano, mas a segunda rodada ficou para o próximo dia 6.

“As vezes as pessoas não têm a dimensão do problema que nós temos para aprovar uma PEC [Proposta de Emenda à Constituição]. Não é só ter votos da maioria mais um, é preciso ter 3/5 dos 513 deputados”, explicou. “E todas as batalhas precisam ter 308 votos: o texto base, os destaques, cada trecho precisa dessa votação.”

Para o relator, o processo no primeiro turno se mostrou consistente ao conseguir 379 votos no texto-base — 71 a mais do que o necessário. Ele disse acreditar que essa robustez deve se mostrar também no segundo turno. “A discussão está muito madura, foram meses de audiências públicas. Estamos caminhando bem para o segundo turno”, disse.

“E depois no Senado, uma revisão ou outra pode ocorrer, mas eu não acredito que haja necessidade para grandes mudanças. Mas é lógico que o senado é autônomo, há bons senadores”, disse, acrescentando que o relator na Casa deve ser o senador e seu correligionário Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Pouco interesse do governo

Na opinião do relator Samuel Moreira, o governo mostrou “pouco interesse em liderar o processo”, protagonismo que foi assumido pela Câmara dos Deputados. “Foi bom porque a Câmara debateu o tempo todo, ouviu contribuições, melhorou o projeto demais, do ponto de vista social, atingiu metas”, disse.

O deputado também elogiou o presidente da Casa, Rodrigo Maia. “Maia cumpriu um papel importante. Ele como presidente soube como ajudar na construção de muitos consensos”, afirmou. “Nós temos um ambiente político muito ruim, com 27 partidos. Para fazer costura de forma republicana, é necessário muito diálogo, muito comprometimento”, continuou.