Se eleito, Skaf pretende priorizar reestruturação das Polícias

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2018 11h40 - Atualizado em 23/07/2018 11h45
Jhonny Drum/Jovem PanPaulo Skaf pretende criar o prontuário eletrônico para agilizar atendimentos na saúde

Pré-candidato ao governo de São Paulo, Paulo Skaf (MDB) esteve nos estúdios do Jornal da Manhã para apresentar suas reais intenções ao Palácio dos Bandeirantes. Para o emedebista a segurança pública é um dos temas mais urgentes. Por isso, é fundamental reequipar e reestruturar as Polícias.

“No meu governo polítíca e Polícia não vão se misturar. Não aceito essa história de que o candidato indica o delegado para fazer campanha. A polícia deve voltar a investigar. É preciso investimento em tecnologia de ponta, entrosar a Polícia Civil com a PM e desenvolver uma grande sinergia de combate ao crime”, explicou.

Skaf desatacou ainda que o orçamento global do estado é de R$ 230 bilhões., sendo que R$ 20 bilhões do montante é destinado para a área de segurança. Já R$ 23 bilhões vai para a educação.

“Esses R$ 23 bilhões não são tão bem administrados. Nós temos 5.800 escolas no estado e já tivemos 5 milhões de alunos, mas hoje temos 3,8 milhões de alunos. Houve uma redução significativa e talvez, pela má qualidade do estado, as mães buscaram outras alternativas”, assegurou.

“Questões somo segurança, educação e saúde são muito técnicas. Qual o preço de se entrosar as Polícias? Nenhum. Um governador deve ter chefia e liderança. Nossas delegacias precisam ter tecnologia. Os recursos de hoje são vergonhosos”, argumentou.

Prontuário eletrônico
Já para a Saúde uma das propostas é a criação do prontuário eletrônico para organizar setorialmente o primeiro atendimento. “Por exemplo, atualmente se um paciente que é atendido num hospital em São Paulo e amanhã vai num outro hospital em Santos, o atendimento começa do zero. Porque não há um prontuário eletrônico que indique a ficha médica desse paciente”, explicou o pré-candidato.

“Existem filas de coisas que matam, como hemodiálise, marcapassos, quimioterapia. Em São Paulo são 44 mil entes de Saúde entre UBS, UPAs, AMAs, Policlínicas, Santas Casas”, completou.

Skaf relembrou que as prefeituras municipais que deveriam investir 15% do orçamento em saúde, costumam investir 27%, uma vez que o governo estadual não tem cumprido com sua obrigação.

Candidatura não decola?

Atualmente, presidente licenciado do Sistema S, o emedebista aparece em segundo lugar nas pesquisas com 21% dos votos válidos. A liderança é de João Doria (PSDB) com 31%.

Quando indagado sobre sua candidatura estar estacionada, Skaf reafirmou que os números são bem animadores para quem está em campo há apenas um mês. “Essa é uma eleição de dois turnos. E lidero em todos os cenários de segundo turno, segundo as pesquisas. Só tenho que agradecer”, destacou.

Confira a entrevista completa com Paulo Skaf (MDB), pré-candidato ao governo de São Paulo: