Se MDB apoiar Alckmin, lógica é que PSDB apoie candidatura emedebista em SP, diz Skaf

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2018 08h19 - Atualizado em 26/04/2018 09h31
Antonio Cruz/Agência Brasil Antonio Cruz / Agência Brasil Para ele, um apoio do MDB em âmbito nacional merece uma contrapartida dos tucanos no cenário estadual

No cenário em que alianças estão começando a tomar formas, há a especulação de um apoio entre PSDB e MDB no âmbito nacional. Fala-se em este segundo apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência da República e, até mesmo, ter o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles como vice.

A aproximação, entretanto, não é vista com bons olhos pelo presidente da Fiesp e pré-candidato ao governo de São Paulo pelo MDB, Paulo Skaf. Para ele, um apoio do MDB em âmbito nacional merece uma contrapartida dos tucanos no cenário estadual.

“O que seria mais lógico, o que estamos discutindo, seria o eventual apoio do MDB ao candidato do PSDB à Presidência. Se isso for verdadeiro, a contrapartida seria o apoio do PSDB ao candidato do MDB ao governo de São Paulo. Não teria sentido o MDB apoiar o candidato do PSDB à Presidência e o MDB apoiar o candidato do PSDB ao governo do Estado, e com a Prefeitura com o PSDB também”, disse em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã.

Skaf defendeu a “lógica” neste sentido e citou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, que fala em retirada de candidatura do PSDB ao governo de São Paulo para apoiar seu nome ou ainda uma retirada de sua candidatura ao governo para tentar o Senado.

O presidente da Fiesp foi claro: não vai retirar sua candidatura. “Assim como é improvável a retirada da candidatura de João Doria, é improvável a retirada da nossa candidatura também. Se for para discutir essa questão ligada a um acordo nacional, não teria mínimo bom senso o MDB ceder de todo lado. Se não for por questão nacional, a beleza da democracia é essa, ter vários candidatos”, explicou.

Confira a entrevista exclusiva com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf: