Secretária de Saúde de Curitiba fala em evitar lockdown e garante ‘sistema preparado’

Huçulak disse que a cidade está acostumada com aumento de doenças respiratórias durante inverno

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2020 10h21
Márcia Huçulak disse que o governo está trabalhando com a população para que a adoção de um lockdown não seja necessária

A secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, declarou que a pandemia chegou ao Sul do Brasil. A cidade demorou dois meses e meio para atingir a marca de mil casos da covid-19 — sendo que o número triplicou no último mês. Em entrevista ao Jornal da Manhã, porém, Huçulak disse que a capital paranaense já está acostumada com um aumento de internações por doenças respiratórias durante o outono e o inverno.

“Claro que o aumento das pessoas na rua influencia na transmissão, mas estamos acostumados com o aumento da demanda entre maio e agosto. Nosso sistema de saúde já se prepara para isso todos os anos. Além da Influenza e da H1N1, agora temos a preocupação da pandemia”, justifica. Ela ressaltou que, no entanto, as temperaturas estão menos frias do que o comum para a época do ano.

Márcia Huçulak disse que o governo está trabalhando com a população para que a adoção de um lockdown não seja necessária. “Não acredito que isso seja a solução. Teremos que conviver com o vírus até que tenha uma vacina. Precisamos equilibrar a vida normal e a proteção até lá. Curitiba não é uma cidade que dá para isolar, fechar fronteiras. Temos trabalhado com consciência e tomando medidas de precaução e distanciamento.”