Secretário de Saúde de SP diz que “não há necessidade de pânico” por casos de febre amarela

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2018 08h47 - Atualizado em 17/01/2018 08h50
Jovem Pan"Infelizmente teremos mais casos de febre amarela e mortes. É uma situação dura, mas sob controle”. A afirmação é do secretário de Saúde do Estado de São Paulo, David Uip, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã

“O alerta é diferente do alarme e do pânico. Não há necessidade de pânico. Vamos ter mais casos de febre amarela, infelizmente. O Estado não mente, não transgride, não esconde e revela exatamente o que está acontecendo. Infelizmente teremos mais casos de febre amarela e mortes. É uma situação dura, mas sob controle”. A afirmação é do secretário de Saúde do Estado de São Paulo, David Uip, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã.

O secretário disse ainda que a doença vem sendo acompanhada desde seu início com a constatação da morte de macacos. Com isso, foram feitas fiscalizações nas matas e implantadas medidas de contenção, além de vacinação.

David Uip destacou que apenas em 2017 foram vacinadas 7 milhões de pessoas no Estado, o mesmo número de vacinados entre 2007 e 2016. Neste ano, a promessa é de vacinar todo o Estado.

Ele ainda afirmou que não houve negligência por parte do Governo federal, estadual ou municípios, e que os responsáveis trabalham com variáveis da doença e dos vetores.

Quanto às filas nos postos de vacinação, David Uip reiterou que o “susto” é desnecessário e que está “tudo sob controle”. As filas, segundo ele, são por conta da alta procura e do processo de triagem, que demora. “Ato vacinal é ato que demora. Tem que fazer triagem. Quanto mais robusta, menos riscos e efeitos adversos”, disse.

Nesta terça-feira (16), o governador Geraldo Alckmin confirmou que o Estado irá antecipar sua campanha de vacinação, com doses fracionadas. Mas, segundo o secretário, não havia “qualquer motivo estrutural” para isso. “Mas a hora que vemos filas e o desespero da população, você tem que tomar atitudes”, explicou.

Campanhas contra vacinas

O secretário estadual da Saúde foi contundente ao criticar aqueles que fazem campanha contra vacinas, seja contra febre amarela ou contra qualquer outra doença: “Não é admissível campanha contra vacina, especialmente em momento como esse. Quem vem falar contra vacina ou aproveitam momento de fama para dar informações inadequadas isso não vale, não pode”.

Confira a entrevista completa com o secretário da Saúde de SP, David Uip: