Secretário de Segurança diz que preferia verba federal à presença de Forças Armadas no RJ

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2017 07h25
Roberto Sá apresentou um projeto ao Governo federal em que pedia ajuda financeira de mais de R$ 8 milhões

O secretário da Segurança Pública do Rio de Janeiro, Roberto Sá, disse nesta segunda-feira (04), durante audiência na Assembleia Legislativa do Estado, que preferia ajuda financeira do Governo federal do que a presença das Forças Armadas.

Ele apresentou um projeto ao Governo federal em que pedia ajuda financeira de mais de R$ 8 milhões. Segundo Sá, o valor seria suficiente para aumentar o efetivo de policiais nas ruas do RJ. Até agora, a força integrada no Estado não trouxe os resultados esperados e nenhum fuzil foi apreendido até o momento.

Nesta segunda-feira, o Governo federal anunciou que a Força Nacional de Segurança permanecerá no Rio até pelo menos 31 de dezembro. Rodrigo Maia assinou uma MP que libera quase R$ 50 milhões no Rio, mas a verba vai direto para o Ministério da Defesa para administrar a Garantia da Lei e da Ordem.

Sobre as Unidades de Polícia Pacificadora, Sá garantiu que elas não serão extintas ou encerradas, apesar da redução de efetivo e de recursos investidos: “enquanto eu estiver lá as UPPs não vão acabar”.

Uma empresa que prestava serviços às UPPs no Estado teve contrato encerrado com o governo por falta de pagamento.

*Informações do repórter Rodrigo Viga