Secretário de Segurança do RJ critica ação da PF no caso Marielle: ‘Muito ajuda quem não atrapalha’

  • Por Jovem Pan
  • 12/12/2018 08h30
Juliana Stadnik/Assembleia Legislativa de Santa Catarina Em recado a Jungmann, o general Richard Nunes afirmou que “muito ajuda quem não atrapalha”

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, general Richard Nunes, criticou, nesta terça-feira (11), o pedido da Polícia Federal para acessar investigação feita pela Polícia Civil no caso envolvendo o assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes.

Essa autorização já teria sido concedida pela Justiça, segundo informações extraoficiais.

Richard Nunes já teria batido de frente com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que vem oferecendo apoio técnico, logístico e operacional na solução deste caso. Jungmann já chegou a falar no envolvimento de poderosos tentado atrapalhar o rumo das investigações.

A declaração de Jungmann se baseou em depoimento dado pelo ex-PM Orlando de Curicica, preso no Rio Grande do Norte. Foi ele quem chegou a citar o chefe da Polícia Civil do RJ, Rivaldo Barbosa, como um dos interessados em não esclarecer o crime.

Em recado a Jungmann, o general Richard Nunes afirmou que “muito ajuda quem não atrapalha”: “para mim faz parte desse processo de desinformação. Muita gente tem buscado holofote na elucidação deste caso e não tem contribuído com nada. Muito ajuda quem não atrapalha”.

Richard Nunes criticou ainda a decisão do governador eleito Wilson Witzel de acabar com a Secretaria de Segurança Pública a partir do ano que vem.

*Informações do repórter Rodrigo Viga