Secretário fala em “aprendizado” e exalta saldo positivo no Carnaval de rua da cidade de SP

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2018 09h26
Rovena Rosa/Agência Brasil"Saldo muito positivo e, para a economia da cidade, foi relevante. Carnaval de rua foi zero dinheiro público. Temos edital e a empresa entrou com a estrutura”, disse o secretário

Com o fim do feriado de Carnaval na cidade de São Paulo, a Prefeitura começa a fazer um balanço sobre eventuais reclamações para continuar a folia ainda durante este fim de semana, quando ao sábado e domingo mais blocos devem sair às ruas.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o secretário das prefeituras regionais da Prefeitura de São Paulo, Cláudio Carvalho, disse que o Carnaval de rua foi um aprendizado e os ajustes são feitos diariamente. Além disso, o secretário reafirmou que não foi gasto dinheiro público para a realização do Carnaval de rua na cidade.

“Foi aprendizado para nós, principalmente o fato da avenida 23 de Maio, e vamos ajustando dia a dia. No caso da 23 de Maio tinham 580 banheiros químicos, foram bem utilizados, teve gente que fez xixi na rua, mas isso é problema de educação e cultura. Foram aplicadas quase 400 multas. Existiam reclamações das rotas de fugas. Na vila Madalena foi bem acertado. Conseguimos fazer carnaval pela cidade inteira”, disse.

Cláudio Carvalho lembrou ainda que o Carnaval na cidade de São Paulo agregou para a economia com a chegada de público entre 30% e 35% de turistas, ocupação de 90% dos hotéis, além de aumento de clientes em bares e restaurantes.

“Foram quase nove milhões de pessoas do dia 03 até esta terça-feira (13). Saldo muito positivo e, para a economia da cidade, foi relevante. Carnaval de rua foi zero dinheiro público. Temos edital e a empresa entrou com a estrutura”, disse.

Sobre as críticas em relação a barulho próximo a hospitais, principalmente na região da 23 de Maio, o secretário disse que será avaliado, mas justificou que é m evento pontual e com limitação de horário. “Carnaval é evento no Brasil inteiro. Grandes eventos ocorrem. Evitamos certos horários, foi durante o dia. Temos parada LGBT na Av. Paulista e no Hospital Beneficência Portuguesa teve índice de reclamação maior que outros. Vamos avaliar e ver como vamos melhorar, mas é um evento pontual, tem limitação de horário”, finalizou.

Confira a entrevista completa com o secretário das prefeituras regionais da Prefeitura de São Paulo, Cláudio Carvalho: