Secretário da Saúde orienta compra de medicamentos mesmo com sobrepreço

Segundo levantamento da Associação Nacional dos Hospitais Privados, os sedativos tiveram uma alta de 287% no preço durante a pandemia

  • 14/07/2020 06h57 - Atualizado em 14/07/2020 08h00
DivulgaçãoAs medicações são vendidas ao governo federal com preços mais baixos e cabe à união tabelar os valores dos remédios

O secretário de atenção especializada à saúde, do Ministério da Saúde, Luiz Otávio Franco Duarte, incentivou a compra de medicamentos utilizados no tratamento contra o coronavírus mesmo que estejam com preços muito elevados. A declaração foi dada nesta segunda-feira (13) durante uma videoconferência feita pela comissão da Câmara dos Deputados, que trata das medidas de combate à Covid-19. Duarte orientou gerentes hospitalares e secretários estaduais a comprar os medicamentos independente do sobrepreço, e, depois, a abrir um processo no Ministério Público. Ele justificou a fala baseado na necessidade de “salvar vidas”.

As medicações são vendidas ao governo federal com preços mais baixos e cabe à união tabelar os valores dos remédios. Secretários estaduais e municipais têm questionado a omissão do Ministério da Saúde quanto ao abastecimento de alguns medicamentos, como, por exemplo, sedativos, utilizados, inclusive, para intubar pacientes.

De acordo com um levantamento da Associação Nacional dos Hospitais Privados, os sedativos tiveram uma alta de 287% no preço durante a pandemia. Após pressão do Sistema Único de Saúde, a pasta está tentando adquirir essas medicações em larga escala, que será bancada, em partes, pelo governo.

*Com informações da repórter Camila Yunes