Sem acordo, situação de Boris Johnson ficará insustentável

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 01/10/2019 09h09
EFEO primeiro-ministro não tem muita alternativa neste momento de agitação política em Londres

O último tiro do governo britânico para tentar um acordo de separação com a União Europeia está perto de ser disparado. O número 10 de Downing Street trabalha numa proposta para a fronteira das Irlandas que deve ser anunciada nas próximas 24 horas.

Jornais britânicos e irlandeses discutem versões do que viria pela frente – embora o governo insista que ainda está trabalhando na proposta.

A ideia especulada é a de não criar barreiras físicas exatamente na fronteira, para evitar o trauma dos conflitos que se estenderam por décadas na região. As inspeções alfandegárias necessárias seriam realizadas na origem e nos destinos dos produtos comercializados na ilha; e também em pontos de controle que seriam instalados com alguma distância das divisas entre os dois países.

O lado da República da Irlanda já reagiu de forma negativa a ideia e isso, por si só, pode afundar todo o plano de Boris Johnson. Mas, o primeiro-ministro não tem muita alternativa neste momento de agitação política em Londres, onde todos esperam um movimento robusto do governo para tentar definir de uma vez por todas essa história.

Se não conseguir encontrar um acordo com os europeus, a situação do primeiro-ministro ficará insustentável. Na verdade, qualquer entendimento agora precisará ser verdadeiramente bom – porque Johnson não tem votos suficientes no parlamento para aprovar nada.

Ou seja, ele precisa agradar os europeus, os conservadores e a oposição para conseguir levar a história toda do Brexit a algum lugar.

Missão quase impossível – para ser honesto. Pelas regras atuais, se não conseguir nada até a segunda metade de outubro, Boris Johnson vai ter que pedir a prorrogação do Brexit, algo que o primeiro-ministro disse que preferia morrer antes de ter que fazer.