Sem plano C, Boris Johnson vai propor acordo com UE para Brexit

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 02/10/2019 09h43
EFEEle apresentou alguns detalhes do plano de acordo com a União Europeia que ele pretende apresentar ainda nesta quarta em Bruxelas

O primeiro-ministro Boris Johnson fez seu tão aguardado pronunciamento na reunião do Partido Conservador, realizada em Manchester. Ele apresentou alguns detalhes do plano de acordo com a União Europeia que ele pretende apresentar ainda nesta quarta em Bruxelas.

Johnson disse o seguinte: “Acredito ser uma proposta razoável e construtiva, em que os dois lados estão cedendo. Não teremos barreiras de inspeção de maneira alguma, nem na fronteira da Irlanda do Norte e nem perto dela.”

Esse é um ponto bastante importante da questão: não ter, na fronteira da Irlanda do Norte com a República da Irlanda, pontos de inspeção alfandegária.

Boris Johnson disse ainda que as pessoas querem, tanto quem votou a favor ou como quem votou contra o Brexit, resolver essa questão de maneira “ordeira” e “sensível” – além de mudar de assunto, porque ninguém aguenta mais ouvir falar de Brexit.

O que o primeiro-ministro depende agora é de uma aprovação da União Europeia para o plano dele. Diferente do que tinha sido proposto pela Theresa May, a solução vai ser contida apenas à Irlanda do Norte.

O país faz parte do Reino Unido e fica na ilha vizinha da Grã-Bretanha. O pequeno pedaço britânico terá uma condição especial, além do direito de negociar de forma independente com a UE. Existe um Parlamento local que, na prática, não tem trabalhado muito.

Já são quase três anos sem reuniões, mas o primeiro-ministro alegou que dará autoridade para esse pedaço da Ilha para negociar suas condições de relação com a União Europeia.

Isso tudo posto, agora depende da aprovação dos europeus. Se, de fato, os europeus concordarem com o plano dele, ele será votado no Parlamento. Também depende de apoio da oposição para que isso tudo seja levado a diante.

A expectativa é de que o acordo dificilmente vai conseguir tramitar seguindo tudo isso nas próximas semanas e o Reino Unido deixar de forma ordeira e pactual, com consenso, a União Europeia.

Só que Boris Johnson ressaltou nesta manhã que não existe um plano C. O plano A é este acordo, que ele está propondo. Se não houver consenso, o plano B é sair no dia 31 de outubro sem acordo – embora não esteja claro como ele vai fazer isso porque existe uma lei impedindo que o Brexit sem acordo ocorra nesta data.

Tudo ainda bastante tumultuado, mas caminhando para um desfecho nos próximos dias.