Sem trânsito em dia ensolarado, Avenida Paulista vira opção para ‘curar ressaca’ da virada

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2020 07h09 - Atualizado em 02/01/2020 11h09
Marcelo Camargo/Agência Brasil avenida paulista Cerca de dois milhões de pessoas participaram da festa de Réveillon na avenida

O primeiro dia do ano começou com sol, calor e sossego em São Paulo. Com o comércio fechado e as ruas sem trânsito, muitos paulistanos aproveitaram o feriado pra passear na Avenida Paulista, que sediou o show da virada. Cerca de dois milhões de pessoas participaram da festa.

Na manhã desta quarta-feira (1º), as equipes de limpeza da prefeitura trabalharam para recolher o lixo acumulado na avenida. Até o último balanço, tinha sido retiradas 66,5 toneladas de resíduos do local.

O corretor Bruno Gutemberg comemorou a virada do ano na paulista e estava lá hoje de novo, passeando. Ele é do Rio de Janeiro e contou que preferiu a festa daqui a de Copacabana. Segundo ele, seu sonho é morar em São Paulo. “Eu tenho um sonho de vir para cá, morar aqui. Pelo trabalho, uma condição melhor. Acho que aqui tem mais respeito pelas pessoas. O Rio, embora seja bonito, eu prefiro para passear – e não mais para morar”, explicou.

A Gabriela, que estava com Bruno, nasceu na Itália e chegou ao Brasil na década de 1950. Atualmente, ela mora em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, e também compartilha do sonho de vir para a capital paulista. “São Paulo, para mim, é a mesma coisa que ele falou. Eu gostaria de morar aqui. Quando eu vim da Itália, morei em São Paulo. Os paulistas que me acolheram e eu gosto disso”, disse.

O casal espera se mudar para São Paulo ainda na metade deste ano.

Já a Carla do Amaral espera que em 2020 ela possa cuidar mais do corpo e da mente. “Fazer por onde para manter a saúde através da alimentação, atividade física, eu quero ler mais livros e meditar todos os dias. É um objetivo que eu quero muito”, contou. Já as vontades do pequeno Benjamin, filho de Carla, são mais simples. Ele quer só continuar aproveitando a infância.

A empresária Valéria de Mendonça tem uma loja de roupas e conta que 2019 foi um ano difícil para o comércio. O desejo dela é que a economia melhore neste novo ano. “Para o país eu espero que a crise passe, porque o comércio foi bom somente em 24 de dezembro – porque o cliente, com pouco dinheiro, deixou tudo para a última hora. Então eu espero que tenha mais empenho para as pessoas, tem muito desempregado, né”, afirmou.

Mas essa noite de Réveillon não foi só de festa. Segundo a Polícia Militar (PM), ao menos duas pessoas foram baleadas na madrugada deste 1º de janeiro nas proximidades da Avenida Paulista.

Uma das vítimas foi uma mulher, atingida por disparos de arma de fogo na esquina das ruas Peixoto Gomide e Frei Caneca. Um homem também foi atacado por  na esquina das ruas Barbosa Rodrigues e Peixoto Gomide, sentido centro. Os nomes das vítimas não foram divulgados.

*Com informações da repórter Nicole Fusco