Semana começa com protestos marcados e ameaças de paralisações

No Congresso Nacional, a oposição promete não facilitar a vida do Governo

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2019 06h23
Ana Volpe/SenadoEm meio à discussão da reforma da Previdência, o Governo também tem pressa em aprovar a Medida Provisória que trata da chamada reforma administrativa

A semana começa com a expectativa do Governo de avançar nas discussões no Congresso Nacional, mas também com a sinalização de paralisações de algumas categorias. Estudantes e professores planejam para quarta-feira (15) uma grande manifestação contra a reforma da Previdência, mas principalmente contra os cortes anunciados pelo Governo nas universidades brasileiras.

Existe o temor também de uma nova paralisação de caminhoneiros. Nos grupos de WhatsApp, a agitação já é grande. Parte da categoria defende que é hora de uma nova greve. Lideranças do último movimento, que estão agora em negociação com o Palácio do Planalto, avaliam, no entanto, que esse não seria a momento mais apropriado de uma nova paralisação.

No Congresso Nacional, a oposição promete não facilitar a vida do Governo. Em meio à discussão da reforma da Previdência, o Governo também tem pressa em aprovar a Medida Provisória que trata da chamada reforma administrativa, que reduziu e reformulou os ministérios em Brasília. Ela precisa ser votada até o início de junho para não perder a validade. O líder do partido Novo, Marcel Van Hattem, defendeu a medida, mas admitiu que não será nada fácil garantir a aprovação no Congresso.

O presidente Jair Bolsonaro admitiu que o Governo gostaria que o Coaf ficasse na Justiça, mas ressaltou que se o objetivo é enfraquecer o combate à corrupção, a medida seria inócua, uma vez que o ministro da Justiça, Sergio Moro, teria uma boa interlocução com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Vale lembrar, no entanto, que para votar a MP da reforma administrativa o Governo terá que limpar a pauta, uma vez que existem hoje outras cinco Medidas Provisórias que têm prioridade de votação, antes da reforma administrativa. Destas, duas outras MPs perdem a validade no mesmo dia.

Entre as lideranças, a avaliação é de que nãos se trata de uma tarefa impossível, como explicou o líder do governo na Câmara, o deputado Vitor Hugo. Segundo ele, a meta é reverter as derrotas durante a discussão na comissão especial na semana passada.

O presidente Jair Bolsonaro embarca nesta terça-feira (14) para os Estados Unidos. Ele vai receber o prêmio de Personalidade do ano no Texas. A solenidade seria em Nova Iorque, mas diante da possibilidade de protestos e da resistência, inclusive do prefeito local, Bolsonaro inicialmente desistiu da viagem.

O Texas foi escolhido por ser um estado mais conservador. Em Dallas, o presidente deverá se reunir com o ex-presidente norte-americano George W. Bush. Bolsonaro deverá retornar ao Brasil na quinta-feira (16).

*Informações da repórter Luciana Verdolin