Senador apresenta pedido de indenização de R$ 1 milhão à viúva de Genivaldo, morto pela PRF

Humberto Costa solicita também uma pensão especial vitalícia e uma pensão especial temporária para esposa e filho da vítima

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2022 09h50
Reprodução/Twitter/@ErikakHilton Ação da PRF Policiais rodoviários federais colocaram Genivaldo dentro de uma viatura com gás lacrimogênio

O presidente da Comissão de Direitos Humanos, o senador Humberto Costa, protocolou um projeto de lei para indenizar a família de Genivaldo de Jesus dos Santos, morto de Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Sergipe. Pelo projeto, o Estado vai pagar uma indenização no valor de R$ 1 milhão à família de Genivaldo, além de uma pensão especial vitalícia e uma pensão especial temporária a Maria Fabiana dos Santos e Enzo de Jesus Santos, viúva e filho da vítima. O homem de 38 anos morreu depois de uma abordagem policial. Genivaldo foi parado por policiais rodoviários federais na BR 101, em Umbaúba, em Sergipe ,por não usar o capacete enquanto dirigia a motocicleta. No boletim de ocorrência, os agentes da PRF afirmaram que precisaram usar técnicas de imobilização. Sem êxito, evoluíram para o uso de tecnologias menos ofensivas. Eles admitiram o uso do gás lacrimogênio. O laudo do IML de Sergipe informou que a causa da morte de Genivaldo foi insuficiência respiratória e asfixia mecânica. Peritos de Brasília vão a Sergipe participar das investigações. Os agentes da Polícia Rodoviária Federal envolvidos nesse caso já foram afastados das funções e a corporação abriu um procedimento administrativo disciplinar. O ministro da Justiça, Anderson Torres, inclusive, determinou também uma abertura de investigação pela PF e pela PRF. Segundo Torres, o objetivo esclarecer o episódio com a brevidade que o caso requer.

*Com informações da repórter Yasmim Costa