Série de assaltos e arrastão em escola assustam moradores de bairro da Zona Sul de SP

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2019 08h37 - Atualizado em 31/05/2019 08h47
Jovem PanO trio de assaltantes levou carteiras, celulares, alianças e pertences de pelo menos oito funcionários, e ainda roubaram dois carros. Uma professora, que teve o veículo levado, precisou ser internada e está de licença médica. 

Após arrastão em uma escola municipal da zona sul de São Paulo, moradores do bairro Jardim Maria Sampaio reclamam da falta de segurança.

O caso ocorreu no último dia 22. Câmeras do circuito interno de segurança flagraram a ação dos criminosos.

Os professores da EMEF Fagundes Varela se dirigiam ao estacionamento por volta das oito horas da noite quando foram abordados por três homens. Na imagem é possível identificar uma pistola na mão de um deles, mas testemunhas contam que dois estavam armados.

O trio de assaltantes levou carteiras, celulares, alianças e pertences de pelo menos oito funcionários, e ainda roubaram dois carros. Uma professora, que teve o veículo levado, precisou ser internada e está de licença médica.

Outra vítima da ação conta que o sentimento é de revolta. “Fiquei com medo? Fiquei. Fiquei assutada? Fiquei. Mas a revolta é maior. Nossa jornada é longa, não é fácil. De repente tudo que você conquistou vai embora e você tem qui ficar correndo atrás de tudo.”

Não é a primeira vez que um caso como este ocorre no estacionamento desta escola. Uma professora que foi vítima no assalto, e preferiu não se identificar, conta como tudo aconteceu. Ela diz que agora a sensação de insegurança é ainda maior.  “Tá tendo muito assalto na região, tem mães que já foram assaltadas aqui próximo. Dá medo porque você não sabe se eles podem voltar, pegar nossos pertences de novo.”

Funcionários acreditam que a ação foi premeditada. Casos semelhantes ocorreram em outra escola da região. No bairro, os moradores reclamam da falta de segurança. Eles até realizaram uma reunião com o conselho de segurança e elaboraram uma petição online em busca de ajuda das autoridades.

A fotógrafa Ester de Freitas afirma que já foi assaltada na porta de casa. Ela diz que até vê policiamento na rua, mas acredita que é preciso ajuda da população para acabar com os assaltos. “Eu acho que realmente ter mais segurança e policiamento. E as pessoas, quando acontece, denunciar. Para ajudar na segurança”, disse.

No dia em que a equipe de reportagem da Jovem Pan esteve no local, uma viatura da Polícia Civil apareceu e investigadores conversaram com as vítimas do arrastão. Todos os professores que tiveram itens roubados fizeram Boletim de Ocorrência.

A Secretaria de Segurança Pública enviou uma nota à Jovem Pan que diz o seguinte:  “O caso citado pela reportagem é investigado pelo 47º DP (Capão Redondo). AS equipes estão ouvindo as testemunhas, vítimas e trabalham para identificar e prender os autores. As ações policiais na região possibilitaram a redução de 0,15% dos roubos, no primeiro quadrimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Além disso, 497 criminosos foram presos e apreendidos e 21 armas de fogo ilegais retiradas das ruas. A 3ª Cia do 37º BPM/M realiza policiamento diariamente nos bairros citados, incluindo o programa de Ronda Escolar, realizada em 32 escolas da região tanto no turno do dia, quanto à noite. A PM vai analisar as denúncias dos moradores para reorientar o policiamento nas áreas com maior incidência criminal.”

As informações são da repórter Marcella Lourenzetto.