Setor de proteína animal envia ofício a Temer pedindo que se evite uma nova greve de caminhoneiros

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2018 07h19 - Atualizado em 03/09/2018 09h27
Joédson Alves/EFECom a greve de maio, 167 unidades frigoríficas suspenderam a produção, gerando impactos de mais de R$ 3 bilhões ao setor produtor e exportador

O setor de proteína animal se mostrou preocupado com uma possível greve dos caminhoneiros e enviou um ofício à Brasília pedindo que o Governo evite uma nova paralisação.

Em uma carta endereçada ao presidente Michel Temer, a Associação Brasileira de Proteína Animal reforçou que o direito de greve é legítimo. No entanto, a instituição criticou a inserção do que classificou como grupos “oportunistas” visto que a categoria alcançou os objetivos pretendidos com a última greve.

Por fim, a ABPA sugeriu uma união entre o Governo, a Agência Brasileira de Inteligência e o setor produtivo para acompanhar o movimento e evitar novos bloqueios forçados nas estradas.

No documento, o presidente da ABPA, Francisco Turra, relembrou os efeitos trazidos pela greve dos caminhoneiros em maio.

O ex-ministro ressaltou que 167 unidades frigoríficas suspenderam a produção, gerando impactos de mais de R$ 3 bilhões ao setor produtor e exportador. Além disso, 70 milhões de aves adultas e pintinhos morreram devido à falta de ração nas granjas.

*Informações da repórter Nanny Cox