Setores de varejo e serviço devem criar 51 mil vagas temporárias de trabalho no fim de ano

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2017 08h51
Arquivo/ABrApesar dos discretos sinais de recuperação, o fim do ano ainda não deve ser totalmente positivo quando o assunto são as contratações para o setor varejista

Apesar dos discretos sinais de recuperação que a economia tem dado nos últimos meses, o fim do ano ainda não deve ser totalmente positivo quando o assunto são as contratações para o setor varejista.

Essa afirmação é do Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC Brasil, que fez em conjunto com a Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas uma pesquisa entre os comerciantes.

Segundo os dois órgãos, 8 em cada dez comerciantes disseram que não contrataram e nem vão contratar ninguém a mais pra esse fim de ano, incluindo os temporários e os efetivos.

Com isso, a conclusão é que sejam criadas pouco mais de 50 mil vagas no setor.

Quem explica se esse número é bom ou ruim é a economista chefe do SPC, Marcela Kawauti.

Entre os empresários que não vão contratar ninguém, a metade acredita que a equipe que eles já têm vai dar conta das vendas de fim de ano, seguido dos 20% que responderam que têm certeza que as vendas vão ser fracas, inclusive no Natal.

Mas para quem está procurando uma vaga, ainda que temporária, nem tudo está perdido. 13% dos comerciantes ouvidos na pesquisa disseram que vão precisar de mais gente. Só que 36% deles assumiram que só vão fazer isso sem assinar a carteira de trabalho do funcionário.

Confira a reportagem completa de Caio Rocha: