Símbolo da luta pela democracia na China, Liu Xiaobo morre aos 61 anos

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2017 07h18
Liu Xiaobo foi um dos autores da chamada Carta 08, um manifesto que exigia a democracia e a realização de eleições livres na China

Símbolo da luta pela democracia na China e Nobel da Paz em 2010, o dissidente Liu Xiaobo de 61 anos morreu nesta quinta-feira (13) na China devido a um câncer avançado no fígado.

Ele foi internado no final de junho após passar oito anos preso e obteve liberdade condicional para ser tratado.

Em 2009, o ativista foi condenado a 11 anos de prisão, acusado de subversão após reivindicar reformas democráticas no país.

Liu Xiabo foi um dos autores da chamada Carta 08, um manifesto que exigia a democracia e a realização de eleições livres na China.

Após o seu falecimento, o Comitê do Nobel afirmou que a China tem uma grande responsabilidade na morte prematura do ativista.

O senador do Estado do Texas, Ted Cruz, disse que médicos americanos visitaram Liu e pediram para que ele fosse transferido para os EUA, mas o pedido foi negado por autoridades da China.

”Liu Xiaobo foi obrigado a assinar um atestado no qual ele preferia ser tratado em um hospital na China. A mulher do Nobel da Paz disse que gostaria que seu marido fosse tratado nos EUA e que era uma vontade dele. Em uma visita a Liu Xiaobo, um médico americano do Texas e outro médico alemão disseram que o paciente teria condições de viajar, mas o pedido foi outra vez negado pelas autoridades chinesas”, disse.

De acordo com o diretor chinês da Anistia Internacional, as autoridades controlavam todas as informações relativas ao estado de saúde de Liu Xiaobo e é difícil saber da veracidade dos comunicados publicados pelo hospital na internet.

Liu Xiaobo é desconhecido de grande parte da população de seu país e sempre foi um tabu na imprensa chinesa, que o acusava de criminoso.

*Informações do repórter Victor Moraes